amonia-na-refrigeracao

É seguro utilizar amônia na refrigeração?

Uma pergunta muito feita para nossos técnicos e engenheiros é sobre a segurança quanto ao uso de amônia como fluido refrigerante. Esse gás carrega consigo uma fama de ser perigoso devido aos acidentes comuns no passado. Geralmente, envolvendo frigoríficos que o utilizavam de maneira indevida, falta de dispositivos e procedimentos de segurança. Então, é seguro utilizar amônia na refrigeração?

Com a evolução da indústria de refrigeração, os equipamentos também evoluíram e, por consequência, os custos dos mesmos também aumentaram graças às tecnologias empregadas. Dispositivos de segurança e procedimentos corretamente executados têm um custo superior, porém, ele deve ser visto como investimento, já que aumentará significativamente a produção, por meio da confiança empregada no processo e no pessoal. Além disso, também resultará em uma menor incidência de manutenções imprevistas e paradas de planta por vazamentos ou problemas relacionados ao uso da amônia.

Em estudos quantitativos de análise de riscos, o apontamento é que a probabilidade de falha humana é de 1 a cada 100. Esse índice é alto quando se trata de processos industriais. Nesse ponto, a segurança na operação com amônia está diretamente ligada, não só aos equipamentos, mas, principalmente, aos operadores e aos procedimentos adotados por eles.

Procedimentos seguros para amônia na refrigeração

Os processos relacionados à segurança com o uso de amônia em refrigeração industrial devem ser personalizados de acordo com a rotina, regime de trabalho, equipamentos e profissionais de cada planta frigorifica. Entretanto, seguem abaixo os procedimentos que sugerimos adequar:

1- drenagem de óleo acumulado em vaso de pressão;

2 – recolhimento de amônia de vaso de pressão ou trecho do sistema;

3 – esvaziamento total de vaso de pressão ou trecho do sistema para manutenção;

4 – testes e inspeção de condensadores evaporativos;

5 – vácuo em componentes ou trechos do sistema;

6 – preparação para exame interno em vasos de pressão (NR-13);

7 – carga de reposição de amônia;

8 – carga de óleo nos compressores;

9 – calibração da instrumentação de campo (incluindo manômetros e sensores);

10 – manutenção geral do sistema.

Os procedimentos devem ser alinhados com o engenheiro responsável, com o supervisor de manutenção e utilidades e com a gerencia/direção da unidade fabril. Eles devem, em comum, visar a segurança pessoal em primeiro lugar e, consequentemente, a segurança operacional e a correta manutenção preventiva dos equipamentos.

Para auxiliar nessa execução disponibilizaremos breve material para auxílio na montagem desses procedimentos. Eles possuem o intuito de auxiliar no processo de adequação e otimização termo energética das plantas de refrigeração por amônia.

Para encerrar e, finalmente, responder à pergunta a qual nos propomos: sim, é seguro trabalhar com amônia com o fim de refrigeração industrial, porém, tendo em vista que o gás não é perigoso por si só, mas pelo seu uso. Se contarmos com empresas, produtos e profissionais sérios, que auxiliem tecnicamente na geração, condução, controle e segurança da amônia pela planta frigorifica, possuiremos um gás natural, de ótimo custo x benefício, ecologicamente correto e com uma eficiência térmica sem igual.