refrigeracao-industria-por-amonia

Refrigeração industrial por amônia

A refrigeração industrial por amônia se popularizou no mundo após a proibição dos gases HCFC’s. Esse consenso global, constatando os danos na camada de ozônio, ocorreu durante a formação do protocolo de Montreal. O mesmo foi assinado por quase todos países do globo, tendo sua execução prática consolidada pelo continente europeu em um primeiro momento, porém, logo sendo amplamente difundida. A amônia é o refrigerante mais natural existente até os dias de hoje. Sua composição é natural e, apesar da toxicidade e da inflamabilidade a determinadas concentrações, é um gás barato, eficiente e seguro.

Abaixo respondemos, de maneira breve, diversas perguntas que chegam até nós pelos usuários de amônia e equipamentos dentro da indústria.

A amônia é um gás tóxico?

Sim, a amônia é um gás tóxico para o ser humano e, se exposto a altas concentrações de amônia em um ambiente sem ventilação, o ser humano pode falecer em não muito tempo de exposição.

A amônia é um gás inflamável?

Sim, a amônia é inflamável, porém, esse grau de inflamabilidade depende da concentração em que o elemento estiver.

Como detectar vazamento de amônia?

Em uma planta frigorífica é necessário, e inclusive obrigatório (NR-36), a instalação de detectores de vazamento para amônia. O problema é que em grande parte das instalações de refrigeração encontramos detectores que não estão de acordo com a normativa vigente. O primeiro, e principal, ponto quando for escolher um detector para amônia é avaliar se o mesmo é feito para amônia ou para “gases”. Uma ocorrência bastante normal é o disparo de sensores próximos a portas de câmaras frias quando as empilhadeiras entram com produtos. As empilhadeiras também liberam gases, que fazem com que esses sensores inapropriados disparem, gerando falsos sinais e relatórios que podem comprometer a confiabilidade do equipamento para quando o mesmo for realmente necessário.

Vale a pena utilizar amônia na refrigeração?

Esta resposta é muito ampla para ser respondida com um sim ou não, porém, a refrigeração industrial por amônia vale muito a pena. Em escala comercial não possui a mesma vantagem, em especial pelo risco envolvido. Entretanto, em pequenas, médias e grandes instalações industriais onde é necessário resfriamento e congelamento, certamente um refrigerante natural de baixo custo e alta eficiência valerá muito a pena em relação a outras soluções.

É seguro a refrigeração por amônia?

Se o projeto for bem pensado e as manutenções preventivas, calibrações e certificações de equipamentos bem feitos, certamente é muito seguro. Por meio da escolha de produtos adequados e de qualidade, existem plantas de amônia funcionando plenamente há mais de 40 anos. Os equipamentos para amônia são precisos e robustos em função da exigência de segurança e operação. Dessa forma, têm longa vida útil e nível elevado de segurança. Para isso, basta manter as manutenções em dia e ter informações para fazer um projeto adequado, ou contar com empresas e profissionais que possam fazê-los. Tornando, assim, a refrigeração industrial por amônia vantajosa.

Como controlar a entrada de líquido de amônia automaticamente?

Os parâmetros que são utilizados para definir a quantidade de líquido podem ser diversos. Nesse caso vamos nos restringir ao nível. Por meio de um sensor de nível de amônia, também conhecido como chave de nível de amônia, controlá-se o mesmo através da leitura do reservatório de líquido de amônia. O sensor, ou mesmo um transmissor de pressão para amônia, envia um sinal elétrico para abertura de um dispositivo ou corta o mesmo em caso do nível de líquido estar no limite máximo. Esse dispositivo utilizado é a válvula solenoide para amônia.

Existem diversos formatos de válvula solenoide para amônia. Como distribuidor Danfoss, a Vaportec oferece, com entrega imediata e ampla logística todas essas opções:

Válvula solenoide para amônia EVRA e EVRAT Danfoss

As válvulas solenoide EVRA e EVRAT são as mais utilizadas nessa função. As mesmas são fornecidas com orifício de 3 a 25mm no formato filtro + válvula + flanges. O filtro de tela possui 100 mesh no elemento filtrante, a válvula possui operador manual na parte inferior do seu corpo e torre, onde a bobina Danfoss para refrigeração é acoplada na parte superior. Por sua vez, os flanges seguem os padrões de conexões da válvula e a outra ponta é soldável. Para as válvulas solenoide de amônia maiores com orifícios de 32 e 40 (1.1/4” e 1.1/2”) não é necessário flange. A solda é feita diretamente no corpo da válvula. Quanto ao filtro, se for necessário, pode ser utilizado um filtro convencional de linha para amônia, modelo Danfoss FIA.

Quando a aplicação exigir uma válvula solenoide para amônia maior que 1.1/2” (orifício de 40 mm) pode ser utilizada uma válvula de controle modelo ICS com piloto solenoide EVM. Dessa maneira, realizando a função de solenoide, sendo dimensionada de acordo com as informações pertinentes ao processo.

Válvula solenoide para amônia com filtro ICF EVRAT Danfoss

A plataforma de válvulas solenoide para amônia modelo ICF EVRAT Danfoss possui válvula solenoide + filtro + operador manual, conjugados em um mesmo bloco. Nesse caso, a manutenção é facilitada pois basta trocar os módulos da válvula para realização da manutenção. Esse modelo de válvula está disponível em 3 tamanhos de orifício (15″, 20″ e 20H onde o H de “high” entrega uma vazão maior para processos que demandam maior capacidade térmica).

Válvula solenoide em bloco de válvulas Danfoss ICF

A Danfoss entrega, exclusivamente, no mercado os blocos de válvulas ICF. Dentro desses blocos, o cliente pode adequar de acordo com a sua instalação quais módulos estarão presentes na válvula. Vamos pensar em um quadro de válvulas da entrada de líquido de amônia de um evaporador em uma câmara frigorifico. Em uma situação assim, por mais simples que fosse, teriam 3 válvulas de bloqueio, um filtro, uma válvula solenoide e, possivelmente, uma retenção. Utilizando um bloco de válvulas ICF Danfoss, poderíamos colocar todos esses componentes em um único equipamento (2 soldas). Economiza-se muito tempo na instalação, ganha-se em segurança e, principalmente, têm-se uma opção de manutenção rápida, fácil e barata.

A manutenção de válvulas ICF Danfoss é muito simples. Como os módulos são vendidos separadamente, basta bloquearmos a válvula com os módulos de bloqueio, soltar a amônia presente no interior da mesma para atmosfera e, rapidamente, trocamos os módulos. A Vaportec, distribuidora Danfoss, possui os reparos para válvula ICF Danfoss com entrega imediata, além da expertise de nossos técnicos, que podem dar todo auxilio para execução, independentemente do modelo ou tempo de instalação.

Como fazer controle de nível de reservatório de amônia?

Existem diversas formas de fazer este controle. Sendo assim, iremos focar em duas. A maneira mais comum, barata e usual no mercado é o controle de nível de amônia por meio de boia de nível de amônia. Esse dispositivo permite que o nível do gás seja controlado através de um nível mínimo e máximo, onde uma boia flutuante com sensor magnético fará o controle. A chave de nível da Danfoss é o modelo AKS 38. Outra maneira de fazer o controle é através do uso de um transmissor de nível modelo AKS 4100. Ele fornecerá um sinal de saída de 4 a 20mA que poderá se comunicar com um inversor de frequência ou outro equipamento, controlando a entrada de líquido do reservatório. Dessa forma, a entrada de nível não será on/off, mas ocorrerá de maneira constante, evitando golpes e aumentando a eficiência térmica do sistema.

Qual período de calibração de válvulas de segurança para amônia?

Tal como os manovacuômetros e equipamentos de segurança, a calibração deve ser anual. Deve ser feita por empresa terceira de engenharia, fornecendo certificação adequada e feita através de instrumentos específicos para esse tipo de trabalho. A não certificação dos equipamentos de segurança para amônia, além de, obviamente, ser perigoso, pode causar a interdição da planta frigorifica.

Para saber mais sobre a refrigeração industrial por amônia entre em contato por meio de nosso telefone (54) 3028-8746, pelo Whatsapp (54) 99977-1727 ou pelo e-mail felipe@vaportec.com.br.