dicas-vasos-de-pressao-manutencao-industrial

12 dicas sobre Vasos de Pressão na Indústria

Por definição, um vaso de pressão é um recipiente ou reservatório projetado para conter fluidos como gases ou líquidos a uma pressão interna substancialmente diferente da pressão ambiente.

A diferença entre vaso de pressão e caldeiras é que no primeiro não há uma chama em seu interior.

Devido aos altos riscos de operação, a construção de vasos de pressão devem seguir as normas de segurança previstas nas regulamentações, que por sua vez, são criadas após vários debates entre especialistas e engenheiros. Apesar de uma tendência do mundo todo assimilar normas americanas ou europeias, a definição de como fabricar e operar vasos de pressão varia de acordo com o país.

Vasos de Pressão – dicas importantes

Dica 1: Ao manusear o vaso, nunca levante o mesmo por um único olhal (ponto de fixação);

Dica 2: Antes de afrouxar ou soltar quaisquer conexões do vaso, tenha certeza de que o vaso esteja despressurizado. Desconfie da leitura do manômetro como redundância em favor à segurança dos envolvidos.

Dica 3: O operador do vaso deve ter o hábito de verificar diariamente se a pressão de trabalho ou de operação está conforme especificado na placa de identificação instalada no vaso;

Dica 4: De acordo com a NR-13 todo vaso deverá possuir um LIVRO DE REGISTRO, nele deverá ser anotado todas as ocorrências relevantes como manutenções, inspeções, trocas ou aferições de dispositivos de segurança, etc…

Dica 5: A espessura de parede do vaso de pressão poderá sofrer decréscimo devido a corrosão, para os casos em que o vaso é fabricado em aço comum ao carbono. É necessário que se execute periodicamente, medições de espessura através de Ensaio Não Destrutivo por Ultra-som e os valores medidos devem ser comparados com a espessura mínima constante no memorial de cálculo. Caso os valores medidos estejam abaixo do limite, o profissional habilitado deve recomendar a troca do vaso ou elaborar um Projeto de Alteração ou Reparo (PAR) para eliminar quaisquer riscos de falha no vaso de pressão bem como poderá recalcular a PMTA e alterar os dados da placa de identificação;

Dica 6: Os dados associados à resistência mecânica do Vaso de Pressão referem-se as suas condições nominais de projeto; O prontuário do vaso de pressão deve ser elaborado em conformidade com a norma Regulamentadora NR-13 do Ministério do Trabalho.

Dica 7: Deve-se realizar anualmente aferição dos equipamentos de segurança, quais sejam, o manômetro ou pressostato (caso o sistema esteja acoplado a um compressor). As válvulas de descarga / segurança devem ser desmontadas, inspecionadas e calibradas na oportunidade da inspeção interna periódica, conforme definido na NR-13. Devem-se efetuar os ensaios em local e dispositivo não acoplado ao Vaso de Pressão;

Dica 8: É de responsabilidade do usuário final do vaso de pressão, realizar nova inspeção com prazo constante do relatório de inspeção elaborado pelo profissional habilitado, ou quando ocorrer avaria mecânica ou química que possa comprometer a resistência do mesmo. O teste deve ser realizado mediante a inspeção e aprovação de um engenheiro responsável (profissional habilitado) de acordo com a NR13 MTE.

Dica 9: Ao constatar aspectos de trinca em chapa ou solda, deformações externas nas chapas com aspecto visual de bolhas durante a pressurização do reservatório de ar ou internamente ao vaso com aspecto de covas rasas ou pites durante as inspeções de rotina, o vaso deve ser esvaziado rapidamente e não pode ser colocado a operar sem que se faça uma inspeção rigorosa precedida de teste hidrostático;

Dica 10: Jamais se devem executar reparos ou serviços de solda nas partes pressurizadas do Vaso de Pressão, sem consultar o profissional habilitado ou o fabricante. Somente podem-se executar reparos ou serviços de solda mediante um projeto de alteração ou reparo (PAR), concebido por profissional habilitado segundo a norma NR-13;

Dica 11: A instalação, manutenção e a operação do Vaso de Pressão devem ser realizadas em conformidade com a norma NR-13 do MTE;

Dica 12: Os componentes do vaso foram projetados conforme a norma ASME Seção VIII – Divisão I; Caberá ao usuário final do equipamento, manter identificada a documentação específica de acordo com a norma NR-13 do MTE;

Equipe Vaportec

ebooks-gratuitos-manutencao-industrial-profissao-comprador